Melhor critério para descarte de matrizes

                 Como resolver um problema, como vacas saindo vazias da estação de monta? Este problema é mínimo quando há apenas uma ou duas vacas vazias, mas, e se, por exemplo, 30% a 40% delas saírem vazias? Pode-se afirmar que no segundo exemplo essas vacas estão consumindo pastagem, mineral e água, e ainda sim não estão produzindo bezerros. No princípio, é interessante que se identifique os animais mais e menos produtivos, resultando em algo positivo, e praticamente sem aumento de custo.

                O reconhecimento do rebanho da propriedade é de extrema importância no ponto de vista zootécnico, como taxas de prenhez, intervalo entre partos, natalidade, desmama, pesos na natalidade e mortalidade, entre outros. Para que haja uma correção na nutrição e manejo, é preciso acompanhar muito bem esses fatores, minimizando tais deficiências. É importante ressaltar que quanto mais cedo for identificado o problema, menos complexo será a correção.

                O principal critério do descarte de gado de corte é a falha reprodutiva, ou seja, vaca saindo vazia da estação de monta. Para isso, é necessário realizar o diagnóstico de gestação (DG), sendo essencial para verificar a taxa de prenhez. Caso haja matrizes não prenhas que possuem bezerros ao pé, elas permanecem no rebanho até a desmama de seus bezerros, recebendo assim, uma segunda chance.

                As novilhas que não emprenham, necessitam ser descartadas sem haver uma segunda chance; as chamadas vacas multíparas, com bezerros ao pé, podem merecer uma segunda chance caso essa seja a primeira falha reprodutiva dela; “vacas solteiras”, que falharam na estação de monta anterior e não estão com bezerro ao pé, também devem ser descartadas. É necessário acompanhar e dar uma maior atenção às chamadas vacas primíparas, vacas que tiveram seu primeiro parto e precisam terminar de crescer e atingir seu peso adulto, entrar em lactação para seu primeiro bezerro, e ainda, se possível, retornar a ciclicidade com suas funções fisiológicas normais. Contudo, essa classe de vaca é a mais exigente perante a nutrição e a chance de permanecer no rebanho.

                Por fim, essa decisão de as vacas permanecerem ou não no rebanho é baseada nas condições de cada propriedade, ou seja, no objetivo, procurando saber se o local está preocupado em expandir, diminuir, ou manter seu rebanho, e ainda se tem condições de manter a quantidade de pastagens e a possível suplementação para a quantidade de matrizes.

Referência:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s