A atuação do Zootecnista na Equoterapia

A graduação de Zootecnia tem em sua grade curricular disciplinas que capacitam o profissional a atuar em diversas áreas dentro da Equinocultura, tais como, nutrição, exterior e julgamentos, manejo e bem-estar, instalações, doma, melhoramento genético, reprodução e produção, dentre outras. A ementa da disciplina salienta fornecer conhecimentos de todas as fases da criação de equinos. Formação de propostas para a resolução de problemas da criação. Capacitação profissional para a atuação nas diversas atividades da produção de equinos (criação, manejo e melhoramento genético de equinos).

A Equoterapia propõe uma terapia com o uso do cavalo, solucionando questões emocionais, psíquicas e motoras. A interação com o cavalo e a prática equoterápica já desencadeou melhorias em quadros extremos de autismo, síndrome de down, paralisia cerebral, ansiedade, hiperatividade, etc.

Equoterapia

Em nosso país a equoterapia começou a ser divulgada a partir dos anos 70 por meio da Associação Nacional de Equoterapia – ANDE Brasil, pioneira neste ramo, fundada em 10 de maio de 1989. A ANDE Brasil define a equoterapia como “um método terapêutico que utiliza o cavalo dentro de uma abordagem interdisciplinar nas áreas de saúde, educação e equitação, buscando o desenvolvimento biopsicossocial de pessoas com deficiência e/ou com necessidades especiais” no qual o cavalo é empregado como agente promotor de ganhos físicos e psíquicos. Esta atividade também proporciona ao praticante, como é chamado o paciente de equoterapia, a oportunidade de mudança de ritmo, direção, aceleração e desaceleração de acordo com o passo do cavalo, além de alterações na postura em movimento utilizando ou não os estribos e uma série de exercícios para promover um ajuste tônico devido ao movimento tridimensional do dorso do cavalo. 

Estudos realizados com crianças com Síndrome de Down, que possuem atraso motor e neurológico, dificuldades de concentração e equilíbrio, dentre outras, demonstraram que a equoterapia é uma boa alternativa de tratamento, pois atua de forma global no praticante. Os ajustes posturais promovem ganhos em equilíbrio, força e coordenação motora e o manuseio do cavalo trabalha positivamente a concentração bem como possibilita relações de afeto entre o praticante e o cavalo, tendo em vista a docilidade deste animal apesar de seu tamanho. 

A equoterapia também é considerada uma prática interdisciplinar e multidisciplinar uma vez que nos centros de equoterapia atuam profissionais como fisioterapeutas, fonoaudiólogos, instrutores de equitação, pedagogos, psicólogos, professores de educação física, terapeutas ocupacionais, médicos entre outros. Dentro dessa multidisciplinaridade, cabe também a inserção do Zootecnista, uma vez que suas atribuições seguem desde a higienização dos animais, das instalações, controle de endo e ectoparasitas e controle da vacinação garantindo a saúde do cavalo para o bom desempenho de suas funções. Ele é responsável também por selecionar, treinar e condicionar os cavalos para que seus movimentos sejam eficientes garantindo um melhor controle de guia, fator importante para o bom prosseguimento da sessão.

Seleção do cavalo de equoterapia 

Para escolher o cavalo para equoterapia precisamos entender de hipologia e etologia. A hipologia é o estudo acerca do cavalo e a etologia é o estudo dos hábitos dos animais e da sua acomodação às condições do ambiente. O cavalo de equoterapia tem que ter saúde física, condições saudáveis, ambiente adequado,  necessidades básicas essenciais supridas e saúde mental aguçada com enriquecimentos ambientais e jogos lúdicos. Tem que realizar todos os andamentos (passo, trote, galope) de maneira suave, fluida e em harmonia, sendo o ideal escolher um cavalo que seja transpistar (Figura 1 e 2), baixa frequência de passadas, ou seja, passo longo e lento. O cavalo não pode ser muito alto, para melhor conforto do acompanhante lateral, pois se ele tiver que trabalhar com o braço muito para cima, pode provocar uma lesão no ombro, então, a altura certa é de 1,50 metros à 1,55 metros, do chão até a altura da cernelha.

 (Figura 1)
Variações na amplitude e frequência do passo do cavalo
(Figura 2) 
Transpistar

Atuação do Zootecnista na área

A atuação do Zootecnista vai desde a seleção do cavalo até o auxílio-guia na sessão equoterápica. O profissional deve estar no momento da compra do cavalo, conferindo o fenótipo e particularidades ideal do mesmo, observando altura, andamentos, temperamento, saúde física e mental. Quando selecionado, o profissional deve fazer todo o processo de doma, dessensibilização de movimentos, sons, brinquedos, acostumando o animal com qualquer situação que possa acontecer, para evitar possíveis acidentes aos pacientes. O cavalo deve seguir um cronograma, com boa alimentação, suplementação, cuidados com o casco, banho, manutenção do endo e ectoparasitas, doma e treinos diários, como o manejo geral (rasquear, escovar, desembaraçar crina e rabo, limpar os cascos e retirar carrapatos) e atividades físicas, como, gastar energia e ganhar massa muscular no redondel, correr em um piquete e se socializar com outros cavalos, cavalgar em novos ambientes e fazer o treino simulando uma sessão de equoterapia. 

No dia da sessão, é essencial que o animal esteja relaxado, limpo e devidamente equipado – os equipamentos variam conforme a necessidade do paciente. Sendo um paciente novo na sessão, os equipamentos utilizados são a manta e o cilhão (Figura 3), já um paciente habituado, usa-se a sela (Figura 4), exigindo mais equilíbrio do paciente. Na cabeça do cavalo colocamos uma cabeçada com rédeas e um cabresto para guiar o mesmo durante a sessão. O profissional leva o animal para o local onde vai ocorrer a prática equoterápica e fica responsável por vigiar o cavalo, guiar e controlar qualquer situação que possa ocorrer. E no final da prática, retorna com o animal e executa os cuidados como banho, alimentação e um bom descanso, seja numa baia, piquete e em um bom e verde pasto.

(Figura 3) Manta e cilhão – Imagem da Equoterapia da UFRRJ
(Figura 4) Sela – Imagem da Equoterapia da UFRRJ

Referências bibliográficas:

  • MACIEL, Melquisedeque Moraes. Repositório Institucional UFC: A equoterapia contextualizada sob os aspectos psicossocial e zootécnico 2016. 56 f. Monografia (Graduação em Zootecnia)-Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2016. 
  • DISCIPLINA CÓDIGO: IZ 207 NOME: Eqüinocultura Pré … – ufrrj
  • Curso Equoterapia – O Cavalo Ideal para Equoterapia – Cursos CPT 
  • Equoterapia: Alterações de diferentes estímulos causadas por variações na amplitude e frequência do passo do cavalo.
  • pt.slideshare.net/clinicansl/equoterapia-parte-2

1 comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s