Distocia em bovinos

O parto é um momento de extrema importância, em vista de que problemas ocorridos nessa etapa acarretam no desenvolvimento da vaca e do bezerro, o que geram grandes perdas econômicas ao produtor.

A distocia é caracterizada pela dificuldade na realização do parto, onde se vê a necessidade da intervenção humana para evitar que o feto desenvolva riscos imediatos. Podem variar desde um atraso no parto até a incapacidade de parir.

Estudos apontam que os bezerros nascidos de partos distócicos tem maiores chances de desenvolverem enfermidades no período neonatal e até mesmos serem levados a óbito. Vale ressaltar que tem efeito a longo prazo, o que mais cedo ou mais tarde acabará comprometendo o desempenho da bezerra. 

Classificação:

Ainda, podem ser classificadas, o que ajuda no registro das ocorrências podendo auxiliar mais tarde em medidas preventivas. Tendo como exemplo duas classificações:

  1. assistência fácil (apenas uma pessoa na intervenção)
  2. assistência difícil (mais de uma pessoa para intervir)
  3. assistência mecânica
  4. cesariana 

OU

  1. dificuldade moderada (bezerro visível, parto auxiliado pelo proprietário)
  2. dificuldade elevada (bezerro não está visível, necessário assistência de um profissional da área)

É possível a inclusão de outros parâmetros, como posição do bezerro, morto ou vivo entre outros, isso vai de cada proprietário para o melhor entendimento das pessoas responsáveis por esse processo.

Causas:

Os fatores que podem estar relacionadas a distocia são diversos, podendo estar interligados com o ambiente ou tendo origem materna, sendo alguns destes listados abaixo:

  • vacas obesas: vacas gordas têm menor capacidade para a contração uterina/o acúmulo de gordura na pelve resulta em menor canal do parto
  • vacas com alimentação muito proteica: o feto tem elevado desenvolvimento no terço final, o que dificulta sua passagem pelo canal vaginal
  • cruzamento: conformação da vaca e do touro sempre devem ser levadas em consideração, principalmente quando se trata de novilhas (levar em conta o peso, idade e principalmente os diâmetros pélvicos)
  • má posição do feto: posição posterior é a principal causa das distocias
  • gestação gemelar: a apresentação simultânea dos fetos no canal do parto, o que mostra a inadequada posição fetal
Exemplos de posições que resultam no parto distócico

Seja qual for a causa, a distocia gera impactos negativos tanto para a vaca quanto a bezerra, como:

  • redução na produção e eficiência reprodutiva
  • aumento no intervalo de parto a concepção
  • tem mais chances de desenvolverem problemas nos próximos partos
  • mais suscetíveis a doenças
  • infertilidade

Medidas preventivas:

Medidas como a seleção de novilhas e seus respectivos touros e manejo nutricional auxiliam para que tenha menor incidência, resultando em menores perdas reprodutivas, produtivas e econômicas.

Referências:

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s