Saiba tudo sobre a Raça Holandesa

Alta produtividade leiteira e fácil manejo certamente que estamos falando da Raça Holandesa. É inquestionável a superioridade da vaca Holandesa em produzir leite, particularmente em sistemas mais intensivos. A elevada produção de leite e de seus componentes faz com que a raça Holandesa seja reconhecida hoje por sua alta lucratividade, particularmente em períodos de justa remuneração pelo litro de leite.

Por ser a raça bovina de maiores produções de leite, tem sido uma raça muito utilizada em diversas regiões, tanto no Brasil como em outros países. No Brasil, além das regiões de clima mais ameno onde a raça Holandesa já é explorada há muitas décadas, poderíamos citar a escolha da raça Holandesa em novos projetos leiteiros no estado de Goiás, hoje o segundo maior produtor de leite nacional, ou ainda no sudoeste paranaense.

Segundo a Associação dos Criadores de Gado Holandês do Rio Grande do Sul (Gadolando), Rio Grande do Sul, estado com o maior números criadores de animais da Raça Holandesa, encerrou o ano de 2019 com um efetivo de 7. 210 animais registrados, um aumento de 4,6% em relação a 2018.

Origem: O gado Holandês, é uma raça de gado leiteiro originário das províncias holandesas do Norte e Friesland, e Schleswig-Holstein no norte da Alemanha e Jutland. No Brasil, não se conhece a data exata de quando a raça foi introduzida, porém, segundo dados históricos referentes à nossa colonização, presume-se que o gado holandês foi trazido pelos portugueses nos anos de 1530 a 1535, período no qual o Brasil foi dividido em capitanias hereditárias.

Características Fisiológicas: •extraordinária capacidade de produzir grandes volumes de leite diariamente, uma média de produção de 8.130 Kg de leite;  •Período de lactação é em média 305 dias, sendo assim, a produção diária é 26 litros. •As fêmeas da raça Holandesa são cobertas pela primeira vez aos 16 a 18 meses de idade, pesando acima de 460 Kg. O primeiro parto ocorre entre 25 a 27 meses (gestação média de 280 dias); •O intervalo entre partos varia de 15 a 17 meses.

Limitações: •No Brasil, a raça sofre com as variações climáticas mais acentuadas e com temperaturas elevadas, refletindo em seu desenvolvimento, sua produtividade e fertilidade;  •Tamanho atual de uma vaca Holandesa é considerado excessivo por muitos. Vacas demasiadamente grandes apresentam maiores exigências energéticas de mantença e, portanto precisam ter altos consumos de alimentos para atender esta alta demanda. •Sem contar que, vacas excessivamente grandes apresentam longevidade 15% inferior às vacas medianas.

Principais cruzamentos: •Girolando (Gir + Holandês): As vacas desta raça são excelentes produtoras de leite, sendo que possuem características fisiológicas e morfológicas que se adequam à produção nos trópicos; •Guzolando (Guzerá + Holandês): As composições de sangue dão destaque à aptidão leiteira do gado Holandês, sem perda da capacidade de produção de carne e leite, rusticidade e adaptabilidade aos trópicos, características pronunciadas no Guzerá.

Fonte: MilkPoint e Tecnologia no Campo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s